0

AEJ



"A aerobiose realizada em jejum tem como objetivo potencializar a oxidação da gordura corporal devido à baixa oferta de glicogênio disponível após um período de 6 a 8 horas em jejum. 

Para que a oxidação ocorra com eficiência ainda é importante que seja feita em intensidade moderada (60 a 75% da frequência cardíaca máxima, caminhada moderada) por 45 a 50 minutos, sem exceder esse tempo e intensidade. Uma atividade mais intensa requer utilização da glicose e forçará o organismo a liberar glucagon e cortisol, hormônio que fará quebra da proteína para formação de glicose, ou seja, não é interessante, pois acentua oxidação das proteínas! 
Com objetivo de evitar ainda mais quebra de proteínas e ainda a desidratação é imprescindível o consumo de 500 ml de água antes da atividade física.

Com o passar do tempo da atividade é possível observar aumento significativo da quantidade de ácidos graxos circulantes, o que pode demonstrar maior utilização da gordura como substrato nesse momento (metabolismo oxidativo). Além disso, a contribuição dos aminoácidos como fonte energética fica em torno de 5 a 15% assim como no estado alimentado, ou seja não há aumento de catabolismo muscular. Daí vem uma das justificativas para a prática do aeróbio em jejum.

É importante manter dieta controlada, pois uma ingestão exagerada de carboidratos no dia anterior pode aumentar as reservas de glicogênio muscular evitando a lipólise (quebra de gordura), pois o corpo humano, alimentado e com altas reservas de glicogênio, não tende a priorizar a gordura como fonte de energia no início da execução de uma atividade aeróbia. Nesse caso o substrato a ser utilizado pelo organismo é o glicogênio (forma de glicose estocada em fígado e músculos), com pequena participação dos aminoácidos provenientes da quebra do tecido muscular (5 a 15%). Somente após vinte a vinte e cinco minutos de atividade que o organismo começa a quebrar os triglicerídeos em glicerol e ácidos graxos com eficiência para utilização como fonte de energia!

Além disso, após a atividade física, deve-se esperar um tempo até a realização da primeira refeição, pois o corpo encontra-se num estado de consumo elevado de oxigênio (EPOC) e por isso com gasto energético mais elevado.
Os carboidratos e lipídeos são os substratos utilizados pelo organismo para fornecer energia, seja no repouso ou durante a prática de alguma atividade física. Os fatores que determinam qual será prioritariamente utilizado são a intensidade, tempo de duração da atividade física, dieta, resposta hormonal, estado nutricional e treinamento.
O pesquisador Torbjorn Akerfeldt defende a teoria de que quando a atividade aeróbia é praticada após jejum de pelo menos 6 horas o corpo pode degradar até três vezes mais gordura do que alimentado. Ele explica que devido à falta de glicogênio o corpo passa a solicitar a gordura como substrato energético principal para a realização da atividade física. E ainda mais interessante: a perda proteica foi reduzida ao invés de aumentar durante a aerobiose em jejum. Com objetivo de atenuar a proteólise é interessante acrescentar suplementos de BCAA ou aminoácidos trinta a quarenta minutos antes do início da atividade, para direcionar o uso da gordura corporal como fonte de energia durante o treino, assim como a fazer ingestão de ao menos quinhentos ml de água, evitando a desidratação e quebra das proteínas contráteis, preservando a massa muscular.

A realização da aerobiose em jejum, assim como de qualquer outra atividade física deve ser prescrita de forma individualizada, para pessoas saudáveis e treinadas. Lembrem-se não é receita de bolo, cada caso deve ser estudado com cautela e os exercícios prescritos por profissionais!"

0 recadinhos!:

Postar um comentário

Back to Top